Postagens

Mostrando postagens de 2017

dos 9 anos e três meses e das memórias que a gente guarda no peito.

Reviver histórias é luxo. A escrita evolui com o nosso amadurecimento. Fantástico é perceber que as fases da nossa existência são pequeninas vidas entrelaçadas. De pequenas em pequenas vivências - e do melhor de cada uma - hoje, posso dizer que sou a melhor versão de mim.

o caminho é mais importante que a chegada.

acreditar. (2)

Acredito no poder infinito de um abraço. Nas arrumações em gavetas, armários, mente e coração. Acredito no poder de superação que todo o ser humano tem. Na capacidade de sonhar, criar. E agir no momento certo. Acredito que fins de tarde podem ser nostálgicos às vezes. Mas também, podem ser prenúncios de novos ciclos chegando na vida. Acredito no desabrochar de sentimentos adormecidos no peito. Em ressignificar o passado e transformar o futuro, vivendo o presente de forma plena. Acredito na disciplina e constância, que podem desencadear uma grande transformação interna. Creio ainda, no auto-amor, e que ele pode gerar cuidado com o próximo. Sempre. E pode também, gerar empatia e reciprocidade. Nesse dar e receber, há 99% de chances de um mundo melhor. E nisso, eu acredito muito. E você? Hoje. Acredita em quê?

sobre o propósito de transformar mundos.

No dia do nutricionista, comemoro doze anos e meio de um sentimento de amor por exercer essa profissão linda, e com a certeza de estar no caminho certo. Certeza essa que foi desconstruída e reconstruída várias vezes. Porque, de tempos em tempos, a gente se perde no caminho. E são nesses desencontros que a gente se encontra mais.
De tudo o que vivenciei nos últimos tempos, hoje posso afirmar que a nutrição me escolheu, e não o contrário. Eu a deixei de lado por alguns anos, não nego. Necessidade de alma. Precisei buscar em outros mundos um sentido a mais para fazer da minha profissão, um propósito de vida. Aos poucos, vou encontrando. Dia a dia. Nos atendimentos, nos clientes, na rotina, em mim. Meu modo de atender nunca é igual. Principalmente com a mesma pessoa. Porque o cliente já não é o mesmo de antes. E eu, nunca sou a mesma de 'ontem'. Assim, acolho a nutrição. Com amor em nutrir vidas, na escrita afetuosa e na empatia do "olho no olho" contribuo para um mundo m…

sobre a sorte que o amor me dá.

Quando criança, encontrei um trevo de quatro folhas num pequeno livro de orações da minha vó. Achei que era de mentira, afinal já estava seco. Parecia de papel. Naquela época, eu conhecia trevo de quatro folhas pelos gibis que eu lia, da Turma da Mônica. E eu sabia também, que dava uma sorte danada pra quem achava um, por ser tão difícil encontrar. Aí uma vez, brincando de desbravar mundos com meu primo, inventei de procurar trevos de quatro folhas nos jardins do clube que frequentávamos. Eu queria muito a tal sorte do trevo. Passamos a tarde toda procurando a bendita plantinha. De tanto mexer na terra, encontrei montes de trevos de três folhas, alguns de cinco. 'E se tirássemos uma folha, vira quatro', eu dizia. Mas mentir pra si mesmo não ia trazer sorte alguma, bem eu tinha aprendido por aí, e confirmei anos mais tarde. Frustrada, esqueci a história dos trevos. Virou lenda. Foi então que nesse final de semana, meu namorado chegou em casa com os olhos brilhando e feliz: '…

Se tiver dúvidas de qual caminho seguir, opte pelo mais bonito. Sempre!

pelos cafés...

Sobre segredos, cafés e cantinhos pra criar/escrever. Pois uma grande ideia não é nada mais que pequenas ideias que se encontram.

sete meses.

Sete meses de muito amor, cumplicidade e transformação em todos os sentidos. Um transbordamento de emoções. No peito e na vida. Meu riso é tão feliz contigo... Meu melhor presente!

dos exercícios de escrita e dos desapegos de alma.

Abri a apostila aleatoriamente. Na folha dizia para escrever uma carta ao maior desamor da vida. Poxa, logo num momento de transbordamento de amor no peito, vivendo um relacionamento recíproco, mágico e lindo? Pois as coisas não acontecem de modo aleatório. E quem pensaria que eu fosse escrever a carta com tanto amor a um tal desamor aí?! São as cheias de amor e alma que invadem a vida, transformam mundos. Pessoas podem ser pontes, podem nos trazer à tona nossos piores defeitos e nossa melhor versão. Ao mesmo tempo. E sem intenção alguma. Ao (des)amor, após você, transformei-me! No peito, gratidão. Passado zerado. Segue o baile. E o amor que tenho hoje é o presente mais lindo que vivo.

a magia de um instante.

Aprendi com as cerejeiras a ser inteira, viver intensamente o presente, me entregando pro agora, de corpo, mente e coração.
Correr é um dos meus exercícios favoritos para aproveitar cada momento da vida de maneira intensa. Porque instantes são mágicos, a vida é breve e passa rápido. Sentir cada quilômetro, cada 100 metros corridos, o vento contra batendo no rosto, a respiração cadenciada, o coração pulsando sincronizado com cada passada não tem preço. Correr transforma. Por dentro.
A vida é mágica.

diariamente.

Há muito para ser feito. Então, pare por alguns instantes, se dê um tempo, se conecte com a sua essência e foque no que realmente importa para você nesse exato momento da sua existência.
Que a cada manhã você encontre um novo propósito pra ser feliz. Cada dia é uma pequena vida. E pra cada uma, fé, ação, amor e gratidão.

Se eu pudesse, te beijava até a alma.

sobre café e a magia do amar.

No fundo da xícara de café, corações e asas. Desejo de liberdade, amor livre de pré-conceitos. Certezas desconstruídas. Amor doce como cerejas, lindo como o amanhecer. Porque a gente sonha, cria mundos, visualiza o futuro. Encaramos desafios. Nos transformamos. Seguimos rumo ao que queremos, 'sin perder la ternura'. E aí, o universo conspira a favor. A vida se expande. E se (re)faz. Tipo mágica.

a delicadeza do amor.

Bilhetes em guardanapos lembram a gente da delicadeza dos pequenos gestos. Dos detalhes que preenchem o peito. Amor que transborda. E expande pro mundo. A vida se encarrega de ser doce. E linda. Sempre. Pra coleção de finais de semana.

da simplicidade essencial.

Dos sábados quentes em pleno mês de julho, dos cafés ao ar livre e dos amores que colorem a vida.

sobre a vida, que é incrível.

O mais incrível da vida é encontrar alguém que queira dividir uma tarde, um cupcake e um café com você. E uma vida também.

Reciprocidade é a doce sintonia de almas.

quando o amor transborda.

Já se passaram 168 dias e um mundo de coisas aqui dentro tem se transformado diariamente. Tantas certezas desconstruídas, tantos pré-julgamentos reformulados e abandonados, e muitos jeitos diferentes de enxergar a vida. Miro teus olhos e me vejo refletida em você, nos nossos gostos tão parecidos (iguais, pra ser mais exata, e me surpreendo tanto com isso). Mas não vejo nada disso como um mero acaso, e sim como uma completude. Sintonia perfeita. Porque uma alma especial reconhece a outra de imediato. E mesmo na imensa individualidade que sempre tive, era o que faltava para preencher um cantinho no meu coração. Transbordou, amor! E a cada dia que passa me faz tão bem, me faz feliz!

pós-corrida.

Quando eu corro, sinto uma sensação de liberdade incrível. Liberdade é transformação. Por isso, eu nunca sou a mesma depois de uma corrida.

sobre dar e receber.

Frio pede café. Café lembra carinho. Carinho aquece a alma. E no meu café, corações que lembram a época em que eu fazia arte em cafés. Amor distribuído em xícaras. Hoje sou eu quem recebe esse amor. Porque a gente só ganha o que outrora distribuiu e compartilhou. Essa é a grande magia de dar e receber. E agradecer.

porque os primeiros 21 quilômetros a gente nunca esquece.

Tudo funciona melhor quando carregamos leveza na alma e otimismo no coração. Um passo por vez e a gente conquista o mundo. Ou uma meia maratona.

do nosso primeiro dia dos namorados.

Não importa o tempo que dure, mas o que você me faz sentir aqui dentro. Se em uma corrida, não me importo com a velocidade e a cronometragem, no amor tampouco importa o que virá a seguir. Porque o futuro é feito de pequenos instantes bem vividos. Assim como foi incrível e lindo nosso final de semana juntos!

a hora do chá e a boa literatura.

"Quando se torna ritual, o chá constitui o cerne da aptidão pra ver a grandeza das pequenas coisas. [...] O ritual do chá, essa recondução exata dos mesmo gestos e da mesma degustação, esse acesso a sensações simples, autênticas e requintadas [...] tem essa virtude extraordinária de introduzir no absurdo de nossas vidas uma brecha de harmonia serena. Sim, o universo conspira para a vacuidade, as almas perdidas choram a beleza, a insignificância nos cerca. Então, bebamos uma xícara de chá. Faz-se o silêncio, ouve-se o vento que sopra lá fora, as folhas de outono sussurram e voam... E, em cada gole, se sublima o tempo."
(Trecho do livro: A elegância do Ouriço)

assim começamos, amor.

Lembro daquele domingo abafado de janeiro, naquela manhã de verão onde eu não tinha certeza se deveria participar da corrida marcada para aquele dia porque quase nenhum conhecido iria, e talvez eu fosse me sentir um pouco deslocada. Lembro bem daquele 15 de janeiro de 2017, à procura de um lugar pra guardar minhas coisas, perdida no meio de tanta gente estranha. Foi ali que tu me encontrou. Acredito que tu não apareceu por acaso. Porque algo em mim começou a mudar a partir daquele momento. Algo novo. Bonito. Que me move e me faz levantar a cada dia com a esperança renovada no meu peito. Que me faz ver o mundo com olhos mais amorosos e acolhedores. E que me faz continuar acreditando nos meus sonhos.

les petit bonheurs. (2)

As melhores coisas da vida estão escondidas num sábado de manhã ensolarado, numa xícara de café, em um livro que a gente não consegue desgrudar de tão bom, e numa boa corrida.

Pequenos prazeres que a gente sente quando sincroniza corpo, mente e coração, contemplando cada instante do próprio movimento.

acreditar.

Acredito no sol depois de dias chuvosos, na bonança da vida pós-tempestades. Acredito na serenidade que surge ao cozinhar nosso próprio alimento; no amor em nutrir vidas; nas inspirações das sextas-feiras regadas a café e bolo de cenoura; no poder meditativo de um chá; nas pequenas transformações diárias; no transbordamento de amor, no peito e na vida; acredito na gentileza consigo mesmo; e com o próximo. Num Brasil mais pacifico, feliz e humano; em menos ego e mais coração. Acredito em palavras que inspiram e podem transmutar ideias e pensamentos, desconstruir certezas, ser ponte e barco; virar mar. Acredito em muitas vidas dentro de uma só. Acredito em mim, na gente, nos sonhos. Acreditar é tipo mágica! E tu, em que acreditas hoje?

correspondências que caem do céu.

Chegou! Ontem ainda. Correspondências que caem do céu. No envelope lacrado, um aviso: "Cuidado, frágil". Sim, porque palavras são frágeis. Há que se ter delicadeza nas expressões, sutileza nas entrelinhas. Coração pulsa na ponta dos dedos e um mundo de sonhos toma forma. Dentro do envelope, mensagem amorosa numa sacola linda: "Te cuida. Cuida de alguém." Sempre. Certezas são desconstruídas. No peito, a esperança retorna. "Tudo dura, dura porque muda". Transformemo-nos! No texto? Também.

Sobre ausências e o que se torna eterno.

Hoje o céu está em festa. Irmãs e mãe reunidas de novo. “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixa cativar”, já diria Saint-Exupéry. E chora mesmo. Mas a gente sabe também que tudo tem um ciclo, que nada é pra sempre, e que as pessoas que passam pelo nosso caminho são insubstituíveis, incríveis e deixam em nós um pedacinho delas. Sorte a minha ter sido colocada nessa família, de mulheres fortes, batalhadoras e amorosas. Alegria em crescer aprendendo com o que elas me ensinaram. E levar tudo isso além, para as minhas experiências, sonhos, projetos e meu próprio destino. Desse quarteto lindo ficam as boas recordações, as histórias engraçadas e felizes (como lembranças de encontros familiares ao redor da mesa da cozinha da tia, entre jogo de cartas, caipirinha e amendoins). Guardo em mim a essência das mulheres da nossa família. Porque quem eu sou devo muito a elas também. Gratidão e amor!

Sobre caminhos.

Quando você tiver dúvidas de qual caminho escolher, opte sempre pelo mais bonito. E contemple o trajeto! Os obstáculos viram brincadeira, e a meta atingida, felicidade plena!

Do livro "Moscas no Labirinto".

"Tenho fé na emancipação, respeito o momento que o ser toma as rédeas da sua vida e se conscientiza das escolhas que faz, dos seus talentos e paixões e se entrega. A hora fatídica em que os anjos dizem amém e te dão força para agir no sentido dos teus sonhos." (Eliana Rigol)

Porque se até a natureza muda, e muda o tempo todo, nós também podemos mudar.

Transforme-se, cariño!

Dos recomeços.

“Hoje eu peguei dez folhas de plátanos do chão da praça. Vou te dar cinco e ficar com as outras cinco pra mim. Cinco representa o mês de maio e dez, a nota que dou para esse dia especial. Porque quando duas pessoas se unem, é para somar e ao mesmo tempo dividir a chance que a vida nos dá para um recomeço!”
Meu propósito maior no momento é mudar o mundo através das palavras. E correr uma meia maratona. Aí o foco muda e as prioridades também. Não tem nada mais gratificante que encontrar o que te movimente e te tire da zona de conforto. Algo que te transforme, te faça ser a melhor versão de si mesma pra poder ajudar outras pessoas. E aí, quando menos tu espera, encontra alguém que desperte um sentimento incrível que andava adormecido lá dentro do teu peito. E tu te vê sorrindo sozinha, sem motivo aparente, no meio de uma tarefa do dia. Para que seja mantida a ordem e a reciprocidade do universo, tu sem querer (mas no fundo, querendo muito) ajuda essa pessoa a encontrar a melhor versão dela também. Em sincronia com essa energia, como uma forma de recompensa, tu esbarras numa vida, louca e linda, cheia de sentido, de sonhos e de alegrias.
Que nossas certezas sejam desconstruídas para dar espaço a novas histórias; que o amor seja a meta e a vida, o caminho. Que façamos planos para mudar o mundo, que comecemos por dentro, mudando a gente. Que os sonhos virem destino para muitos, e não só para nós mesmos. Que a vida vire um livro de crônicas com poesia nas entrelinhas. Que sorrisos virem rotina. Que às vezes nosso “eu” seja desfeito para sentirmos o outro. Que a felicidade transborde e possa ser compartilhada. Que haja mais corações e ternura em mensagens de texto. À noite, que inventemos caminhos novos pra trilhar juntos, num futuro próximo. E que tu lembres de escrever bilhetinhos de agradecimento ao universo. Para a tua esperança retornar de manhã cedo e acender estrelas no teu coração. Cada dia é uma pequena vida. E pra cada uma, paz, alegria, amor. Gratidão!
Na corrida de hoje, passei por trilhas de folhas secas que as árvores um dia se desapegaram. Parei para contemplar, receber a mudança, sintonizar com o novo. Deixar ir o que já não me pertencia. Aprendi com as árvores. A natureza é sábia. Com o fôlego e a energia renovados, o corpo corre feliz enquanto a alma voa, deixando-se levar pelo fluxo da existência.
Tem corrida fácil, tem corrida ‘hard’. Tem corrida que a gente quer fazer nosso melhor e outras que preferimos apenas nos guiar pelo coração. Deixar ser.
Quando sincronizamos a respiração com nossas passadas, sentindo cada instante e nos deixando levar pelo momento, o pensamento positivo predomina e a conexão com nós mesmos é restabelecida. E de um jeito mágico a gente se transforma, sintoniza com o mundo e a vida se expande.
Fim de abril, 11 graus, primeiro frio do ano: caminhar no centro e encontrar cafés que são tudo aquilo que tu precisava pra terminar o dia. Te aconchega, toma um latte, renova as energias… e deixa fluir. É desse jeito que a esperança retorna.
O plano é mudar o mundo, começando por dentro. Mudar o seu mundo de um jeito amoroso que só você consegue fazer. Porque você tem força pra isso. Você tem o potencial necessário para se encontrar, aceitar o que tem hoje e se entregar aos movimentos da vida.

Quando falamos sobre comida, associamos ela a sentimentos e emoções. Em vez de travarmos batalhas internas, a gente precisa fazer as pazes com o alimento e com nosso corpo. Aprender a escuta-lo para saber do que ele precisa. Ser gentil com nós mesmos. E a maneira para melhorar este estado de ânimo e aumentar a força interna é cuidar de você. Se acolher! Que tal tratar-se com mais gentileza? A vida lhe retribuirá na mesma frequência.
Pingado, de café e de ideias. Insights. Palavras misturadas no ar. Folhas secas soltas no chão mostram o caminho. A tarde é de outono.  A vida pede mudança. Ella no piensa en nada. Pero, siente. Y siente mucho que llena el corazón de un sentimiento que transforma su alma. Ella camina despacio por las hojas. Elle a des rêves. She knows how to make the difference in the world. In your life. “Suivre ton coeur”, sussurra sua voz interna.
Entregue-se aos movimentos da vida. Deixe Ser.
Sobre pausas que tornam o dia mais doce: felicidade são esses instantes de paz. E aquele plano que projetei anteontem sem saber se há chances de dar certo, me ponho a acreditar. Coisas de fé! A vida é linda, cariño! Presta atenção ao redor e veja: tudo o que sonhastes um dia, já está acontecendo. Perceba-nos!
Basta conectar com a alma e enviar currículos para as pessoas que visitaram o seu coração. Sem amor eu nada seria. Muito menos teria te conhecido. Obrigada por me lembrar que amor está nos detalhes e que o destino só vale a pena quando aproveitamos o caminho, com leveza e entusiasmo. A princípio, era o que eu tinha pra te dizer. E disse! Me sinto aliviada e satisfeita de mim. Estou lendo o livro que tu me deu naquele dia de setembro de algum ano passado. Sinto a sua falta! A vida inteira eu fiquei a te esperar. E ainda espero por você. E te gosto tanto que transborda. Je vous remercie de votre vie et pour vous être avec moi à la fin du mois d'avril. Yo me quedo con la persona que me gusta. La gente mala se ha ido de mi vida y no me importa más. Me voy a dormir feliz y me lo puedo creer que la vida es una buena idea. Gracias a la vida. Gracias a ti. Gracias a todo. The best thing about this game is that don’t have losers. I’m just trying to make the right, but you told me that don’…
Porque a vida é mais bonita quando a gente sente. E sentimos tanto que faz inundar o coração de um sentimento puro. E lindo! “Je t'aime et tu m'aimes aussi.” C'est le secret de la réciprocité. Cuando los dos se quieren, no hay nada más que ellos pueden hacer. Es tan lindo que el alma canta y el corazón se llena de amor y alegría. This is beautiful! Love is a great way of making the new one and always be a good person. I’ll just enjoying a little bit more the next level. Because living is amazing! . .
Quando a gente brinca com as palavras, em idiomas diferentes, coloca coração na ponta dos dedos e solta todo o sentimento preso no peito para o texto. Para a vida. E a vida nada mais é que a poesia dos instantes. Viver é incrível, repito agora na nossa querida língua portuguesa.
No dia do chimarrão, comemoro cem dias de um sentimento que vem crescendo no peito, tomando forma devagarinho e iluminando o novo que vem aí. Um carinho que aquece e acolhe, como um mate em uma segunda-feira de chuva. ‘Si corres en la lluvia sin miedo, no hay dudas que amas de verdad’ uma cigana uruguaia me disse uma vez. Se molhe, amor. A reciprocidade é doce e te espera sob a forma de arco-íris.
23 de abril: dia internacional do livro. Foi ontem. Por causa da minha mania de deixar as coisas pra depois, não fiz texto. Na escrita, travei. Coloco-me em dúvidas se escrevo sobre relacionamentos que se tornaram passado e dos que o presente me regalou. Ou sobre sonhos, empreender e a relação do café de outrora, a corrida de agora e projetos a longo prazo. Talvez eu deva trazer lembrança em forma de texto. Escrever sobre relações, cafés e a corrida. Unir todas essas coisas. Criar outras mais. E aí, fazer história. Embarco na inspiração, me movimento em um fluxo de ideias. As dúvidas se diluem. As travas se rompem. O hábito de deixar para depois é transformado em AGORA. Eis que um livro novo nasce. Um livro pra chamar de meu.
Aniversariar é tudo de bom! Ter um dia inteiro só nosso e poder compartilhar com quem a gente gosta é pura alegria. Aniversário no outono é renovação em dobro. Os números acumulados são pouca coisa perto de tanta experiência adquirida. E o melhor do que ficou de tudo, a gente guarda no peito. Aniversariar em um sábado. Planejar o dia como se quer e ver que saiu melhor que o esperado não tem preço. Tem felicidade, tem gratidão. E o amor foi sentido nos detalhes do dia. Acabou. Mas foi tão bom que deveria ter replay. Ou metade do dia seguinte pra rever e curtir ainda mais o que faltou. Porque sempre falta alguma coisa, mesmo quando é perfeito.
Soprando a velinha que apaguei no fim da noite, fiz dois pedidos. Algumas línguas nem tão más assim me disseram um dia que segredo não se conta, senão não acontece. Em silêncio, repassei mentalmente o áudio que me mandaste mais cedo. “Vamos ter cuidado com os desejos, pois eles teimam em acontecer”, ouvi de alguém por aí. Pois creio que já estamos ac…
Às vezes me dou um tempo. Pra fazer listas, planejar o futuro, derramar palavras no papel que vem do coração, ler livros em outro idioma, ver o entardecer de outono, terminar aquele livro abandonado há meses, escutar jazz, ouvir a voz interna que guia e acalma, mudar a rota dos planos, transformar ideias em movimento. Preciso dum tempinho para um café, para respirar fundo, suspirar e escrever o que senti quando teus lábios encontraram os meus. Para estar aqui, viver o agora, muito mais que existir. Um tempo para SER.
Um Latte, um livro, uma sábado de quase outono.É tempo de renovação. Do mundo e das coisas dele. Da gente.Movimento faz mudança e a mudança transforma a vida.Transforme-se meu bem!
“Las angustias, los dolores y las quejas deben ser olvidadas; las personas, perdonadas. Y así, nuestro corazón se queda libre, leve y suelto. Se abre para todas las cosas buenas que el Universo da a nosotros. Pues entonces, ¡seas libre! Lo mal no pertenece a tí.”
****** Uma mensagem dentro de um livro. Em linguagem amorosa. Escrita em abril de 2016. Da gente pra gente mesma. Para quem chegar e se encontrar. Para todos os tempos.
às vezes, os dias ficam estranhos. ou somos nós que não estamos em sintonia com eles. aí, numa casualidade do dia, a gente se encontra. dentro da gente. coração vira gps. a energia que nos acolhe naquele instante faz movimentar a vida. e pra não contrariar, a vida movimenta a gente na mesma sincronia. ❤️
Tem gente que é de samba. Tem gente que é de livros e de Netflix. Tem gente que, numa tarde chuvosa, enxerga poesia nos estudos de bioquímica. Carboidrato que se transforma em energia, sentimento que se transforma em alegria. E no meio de explicações sobre o ciclo de krebs, tem pausa para um café. Tem bolo também. Tem história que se passa em Paris. Tem mensagem que chega de repente e faz a gente perceber que delicadeza está nos detalhes. Aproveita amor, é carnaval!
Imagem
Imagine um dia especial e pense como teria sido seu percurso sem ele. Sobre encontrar a sua melhor versão na leveza de viver a vida.
No trajeto, contemplação. Há uma sincronicidade da natureza: a maré alta fez da areia terreno perfeito. Vento no rosto, nuvens cobrindo o sol quase o tempo todo. Clima ameno. Praia deserta. De repente, a música nos fones de ouvido para. E agora? Hora de meditar. Correndo. Sintonizar corpo, mente e coração; respiração e passadas. Apreciar cada instante. Um pouco de cansaço vem à tona, olho o mar. Garças passam por mim no céu. Espírito de equipe. A ansiedade em chegar ao fim é grande, mas mantenho a serenidade no momento. A gente sabe, a felicidade é o caminho, mas ao final, o entusiasmo e a alegria prevalecem! Valeu TTT! Valeu equipe octeto misto, grupo Life Company de corrida e apoios! Foi incrível!
Antes de se afundar em expectativas do que talvez nunca venha a acontecer, melhor sentir o momento. Ser feliz e agradecida pelo que se tem, e observar um mundo de possibilidades se abrindo para a gente. Se permitir! Porque o amor está nos detalhes. E a vida é agora.
Da janela, a brisa balança a vida, bagunça cabelos e (re)mexe sentimentos. O ar marinho traz calmaria. A mente divaga entre o que foi e o que será, mas é no agora que ela se encontra mais. A paz vem de dentro. Lá fora, o mar. Aqui dentro, A-MAR.

A esperança, me disseram, é o nosso sol interior despertando em nós.

Sobre bilhetes deixados no meio de livros, carinho-recordação do passado me lembrando que o presente é tudo o que nós temos. No fundo da xícara de café, marcas de futuro. "Acredite. Sonhe grande. Realize", foi dito um dia. E ainda se diz. E ainda se sonha. São os sonhos que movimentam o mundo. Movimente, amor.
Barulhinho bom da água sendo filtrada no pó de café. No líquido escuro da bebida, vejo luzes e sonhos. A caneca aquece minhas mãos. No aroma, há nostalgia; no sabor, um abraço, um afeto.

Aguçando meus sentidos, aprecio instantes.

amor.

Que bom que há os recomeços, para nos dar uma nova oportunidade. Há a fé, para nos guiar. Que bom que há o amor.
Que em 2017, você tenha coragem para começar de novo. Que faça melhor que em 2016. 
Que coloque coração em tudo o que fizer. Que transforme cada palavra em luz e inspiração pro outro. E que te enchas de novas ideias para reinventar o dia a dia. Que a criatividade te mova, o amor te fortaleça e a paz te envolva todos os dias.

Que em 2017, você saiba olhar as coisas com mais delicadeza, de maneira mais positiva e doce. Que desperte em ti o teu melhor.

Libere espaço para o novo. E lembre-se que é o amor que faz o mundo amanhecer. Desperte-o.

(Texto 7 de 7).