terça-feira, 31 de dezembro de 2013

goodbye, 2013. hello, 2014.


Findou mais um ano. Um ano que me tirou o fôlego. Que esgotaram minhas energias. Mas que valeu muito à pena. Tanta determinação, tanta espera, tanta fé. Veio realização. De um sonho. Um sonho enorme que eu tinha. Teve persistência, desafios, dificuldades em grau máximo. Um ano em que o trabalho ficou em primeiro lugar. Que virei empresária (vejam só!). Acho que fui muito bem, até. Então, agradeço. Pelo ano, pelas escolhas feitas, pelas alegrias, pela minha família e amigos. Por quem esteve do meu lado todo esse tempo. Que em 2014 tudo isso venha em dobro. E venha mais tempo para mim também. Momentos meus, tempo interno para recarregar minhas energias e viver mais poesia.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Pra constar. No fim de ano.


Ultimamente a vida anda agitada, atarefada, com muita coisa pra fazer em pouquíssimo tempo. Folga é luxo. É milagre também. E quando uma aparece, quero fazer mil e uma atividades que em dia comum não consigo. Quero ver gente que não encontro sempre. Aí a folga passa. Os momentos são aproveitados com intensidade, mas falta descansar. Daí vem o dia normal de novo. E mais trabalho. Me sinto mais cansada de quando saí de folga. Mas muito mais feliz. Bom, então está tudo certo.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

de 2013 e das conquistas.


Movimento. 2013 de reviravoltas, decisões e resoluções. Um ano com os 365 dias mais agitados da minha vida. Mas que deu (quase) tudo certo.

Foi um ano que aprendi muito. Aprendi a andar sozinha, a perder a insegurança, a ter determinação e muita, mas muita fé. (Fé. Palavrinha pequeníssima porém, com uma força tremenda. Que me impulsionou lá pra cima. E lá cheguei.)

Foi um ano de plantar muito, de estruturação. Um ano que descobri que andar sozinha não foi tão difícil assim. Muito pelo contrário, só me fez crescer e me tornar uma pessoa surpeendentemente diferente. Mais realizada, mais madura, mais feliz. Se bem que, quem é que disse que andei sozinha? Ou completamente sozinha? Porque gente do meu lado é o que não faltou. Um brinde a essas pessoas que conviveram dia a dia comigo, me ajudaram, me ensinaram (e me aguentaram muito também).

2013 foi um ano de conquistas. De muito trabalho. De pequenas viagens, mas incríveis. De amigos (os melhores que a gente pode ter). De Rio de Janeiro. De aulas de francês. De cinema. De música. De literatura. De poesia. De coração em expectativa. De permanecer em stand by no amor (mas só porque o foco maior é o café). E falando no café, este que começou com um pequeno sonho e se realizou de uma forma imensa. Às vezes demora pra 'cair a ficha'. Mas aconteceu. Porque eu sempre acreditei. E corri atrás. Com foco, fé (olha ela aí de novo) e perseverança. E mesmo que algumas pessoas não tenham dado certo na minha vida, eu ainda assim, agradeço imensamente por elas terem me ajudado a conquistar esse sonho. Mesmo que elas não saibam que me ajudaram. Mesmo que elas tenham me feito passar por dificuldades até chegar onde estou. Quer saber?! Um brinde a elas também.

E eu, só quero a paz que mereço nesse fim de ano. E sossego. Porque de resto, estou bem, amor. Um brinde à vida. E à mim.

sábado, 14 de dezembro de 2013

das palavras que nunca deveriam faltar.

Tem vezes que as palavras fogem da gente. E não é por falta de acontecimentos na vida. Não é por falta de novidades ou movimentos. Nem sentimentos. Muito menos emoções. Elas me faltam, apenas. E mesmo com tantas formas diferentes que existem em se expressar - tipo, música, filmes, livros, fotografia, poesia, ou seja, toda forma de arte - é escrevendo que eu ainda me encontro mais.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

das segundas cheias de ideias.



Nunca se precisou tanto de criatividade e imaginação para nos salvar da rotina do dia a dia.

das conclusões.

- Acho que o melhor é ver o lado bom em tudo.
- E se não tiver lado bom?
- Inventa-se um, ora!


terça-feira, 26 de novembro de 2013

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Et si ma vie était un livre?


caminhos. escolhas. gente que entra na tua vida sem pedir licença e ainda bagunça ela. gente que não quer sair de jeito nenhum, mesmo que já tenha esgotado o tempo dela. gente que espia pela fresta mas tem receio de entrar. vida em movimento. certezas felizes. realizações. incertezas possíveis. sonhos e esperas. vida ora de primavera e renovações. ora de outono e mudanças. cafés e cultura que expandem o mundo. músicas que alegram a alma.

na cabeça, ideias bagunçadas. reflexões pensadas pela metade. e outras que se multiplicam em mais de cem. pra discussão em um café. ou numa mesa de bar. coisas que dariam um livro. um livro da vida que cabe numa ideia. de mil ideias que cabem em um livro.

hora de transformar vontade antiga em livro.
um livro pra chamar de meu.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

dos tempos em 'stand by'.


pra cada coisa, um tempo.
em cada tempo, uma pessoa.

se há pessoas certas no tempo certo,
há também pessoas erradas que vem pra melhorar o tempo.

se há pessoas erradas no tempo das coisas,
há ainda, pessoas certas em um tempo inconstante.

mas o pior que ainda há,
é pessoa incerta
fora de sincronia com o tempo da gente.

fim dos tempos, este!

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

dos meses em poesia.


setembro acabou de repente
sem sentir o tempo das coisas
se foi assim
piscando olhos
faltando primavera
e romance nos dias
sobrando pensamentos
e alegria de dias em cores
viagens doces
encontros gostosos
                         [ou nem tanto]
desencontros
esperas e demoras
e amigos pra qualquer hora

termina setembro
leve como o vento
rápido como o tempo

e eu vou embora
porque de poesia já deu por ora
e amanhã outubro é
e que seja
outubro do bem
e do bom também.

la vie en poèsie.

passo o tempo decorando frases em francês.
pra fugir da rotina.
pra espantar a ansiedade.
pra deixar a vida mais leve.
                                 
                                 [leve poesia]

domingo, 29 de setembro de 2013

tipo reflexão de domingo.


Se você realmente quiser, corra atrás dos seus sonhos, planos e ideias, porque dificilmente serão eles que correrão atrás de você.

das esperas que (im)pacientam a alma.


tem hora que atrasa
tem gente que enrola
tem tempo que empaca
e primavera que demora

mas sempre há agradável surpresa em tanto esperar.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

das viagens que dão samba (do bom).


'Hoje só quero o murmúrio do canto da noite que vem me embalar
Quero escutar a saudade que tem tanta coisa pra me revelar
Lembrar que te amei muito mais do que é permitido em uma ilusão
E preencher o vazio com tudo que dita o meu coração
Hoje só quero o murmúrio da brisa macia que vem lá do mar
Quero seguir o caminho do tempo que passa pra não mais voltar
Cantar e quem sabe chorar tudo quanto ganhei, tudo quanto perdi
Relembrar amores que vivi...
Há quanto tempo que eu vivo a buscar solidão
Loucuras fiz a me enganar, a me perder sem razão
Hoje só quero poder relembrar sob o clarão do luar
Tudo que sofri sem reclamar'
♫ ♫

(Murmúrio - Casuarina)

cadê primavera?

 
aguardo a primavera
dos dias doces
pra minha vida 
mais florida ficar
 
e assim o tempo espera
e eu só me deixo levar.

das viagens incríveis e das poesias que dão samba.


dos lugares que me fizeram suspirar
tem Rio, tem mar
não precisa ser janeiro pra sorrir
basta ter amigos de coração
e setembro pra curtir

o pão não era de açúcar,
mas as pessoas eram doces
o sorriso caia solto
no rosto cansado e satisfeito
e tudo se encaixava na vida
abençoada por Ele
caindo no samba
da graça das pequenas coisas
e dos momentos mágicos

ah Rio, saudade é pouco
outra hora estou aí de novo.

dos apontamentos.

o melhor das histórias de amor é o jeito como elas se desenrolam.
mesmo se não há desfecho.
ainda assim, são histórias.
histórias de amor.

ma vie dans un film.


Alguns momentos da minha vida podem parecer muito com um filme argentino, mas a essência dela lembra um filme francês, porque por mais louco que seja o enredo, tem sempre um toque de poesia no ar.

muita calma! vem amor.

 
Seu eu quiser amor
que vem
de_pressa
me sinto ansiedade
do tempo que (não) foi.

Mas se o amor
vem
sem (a)pressa
ansiedade é disfarce
em graça, cores
                   [e versos livres.]

domingo, 22 de setembro de 2013

da pressa (e) do tempo.


Se uma flor tem o tempo dela para florescer, se uma fruta tem seu próprio tempo para amadurecer, por quê então essa pressa das coisas se cada qual acontece na hora certa que elas tem pra acontecer?

sábado, 21 de setembro de 2013

sobre as nuvens.


me esqueço de mim rotina pra me encontrar em mim poesia.

das expectativas que anseiam.


das esperas e demoras,
dos  pensamentos soltos e sem hora,
não tenho paciência nem pra livros que me querem enrolar.

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

simplicidade.


livrar-se de todos os excessos. de tudo que é supérfluo. viver sem desperdício. encantar-se com a magia escondida na rotina do dia a dia. enxergar o belo nas pequenas coisas. viver sem afetação. compreender as leis do universo. viver com o coração.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

dos recomeços.


"Balayé les amours
Avec leurs trémolos
Balayés pour toujours
Je repars à zéro." ♫ ♫

(Édith Piaf)

terça-feira, 3 de setembro de 2013

leve. (2)


leve a vida com leveza.
sem nada abater.
sem nada temer.

só leve.
bem leve.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

de sonhos, viagens e conquistas.

 

Há exatamente 3 anos eu embarcava para a Espanha. Mas não é só da viagem que lembro. O momento foi um marco pra mim. Ali que dei vários passos à frente. Ali que enfrentei medos, inseguranças e a solidão. Venci-os! Conheci muita gente incrível. Lugares fantásticos. Melhorei meu espanhol.

Uma das épocas mais marcantes da minha vida. E uma das mais felizes também. Saudades imensas! Foi a realização de um sonho. E o começo de outros. Estou onde estou graças a muita coisa que aprendi e vivi nessa viagem. Hoje só prossigo na realização de mais um sonho. E na direção de outros também.

Si no me causar una revolución, ya no lo quiero.

sábado, 17 de agosto de 2013

O mais incrível da vida é encontrar alguém que queira dividir uma tarde e um café com você.

dos cafés e dos 'rendez-vous'.


da ansiedade da chegada.
da espera sem fim.
das borboletas no estômago.
da sensação de 'cosquinha' no peito.

das mãos que não sabem onde ficam.
das palavras que se atropelam.

das pessoas que encontram tempo de encontrar a gente.
mesmo sem tempo. mesmo por um curto tempo.

da inquietação. da excitação.
do medo. do entusiamo.

dos cafés quentes e das conversas doces.
desses encontros que colorem ainda mais a vida da gente.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

na literatura da vida.


"Eu, pelo menos, não sei se pela situação especial de espera e ansiedade, experimentei um desassossego que a muito não sentia."

(Correspondências - Clarice Lispector)

E a muito não me fazia (tão) bem.

douce inquiétude.

''Si tu viens, par exemple, à quatre heures de l'après-midi, dès trois heures je commencerai d'être heureux. Plus l'heure avancera, plus je me sentirai heureux. A quatre heures, déjà, je m'agiterai et m'inquiéterai; je découvrirai le prix du bonheur! Mais si tu viens n'importe quand, je ne saurai jamais à quelle heure m'habiller le coeur...''

(Le Petit Prince - Antoine de Saint-Exupéry)

quarta-feira, 31 de julho de 2013

só pra constar.

eu tenho uma camiseta com os dizeres 'meu santo é forte'. comprei na Bahia. faz uns dois anos. na época, nem sei o real motivo que me chamou a atenção aquela camiseta. hoje sei. intuição. então descobri que tenho o anjo da guarda mais amado do mundo. e agradeço por isso.

boa noite.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

dessas vontades novas que surgem de repente.


ontem era 27. hoje, 32.
ontem, o desejo era outro.
hoje, é o mesmo, mas diferente.
transformei prosa humorística em poesia.
nos sonhos. e na realidade.

porque a gente muda.
e muda o tempo todo.

e se eu trocasse tequila, guacamole e amores latinos por campos de lavanda, croissants e 'les amours'?

dos cafés, das cumbias e do amor.


'si yo pudiera algún día, remontarme a las estrellas,
conmigo te llevaría 
adonde nadie nos viera.
no hagas caso de la gente, sigue la corriente y quiéreme más.
¡que si esto es escandaloso, es más vergonzoso no saber amar!
 ¡que si esto es escandaloso, es más vergonzoso no saber amar!'
♫ ♫

da realidade dos sonhos.


e do sonho intenso, acordei querendo mais.
mais sonho. mais amor.
e tudo foi tão lindo (e real) que nem sonho parecia.
até acordar e perceber que realmente era sonho.
e aí ACREDITAR que esse sonho pode vir a ser minha melhor realidade.

fazendo horas.

 

trabalho virou lema. às vezes tema também. não tem hora pra comer. não tem hora pra sair. vira e mexe e arruma um tempinho pra si. porque o corpo, a cabeça e o coração pedem paz. os horários, ora, deixa-os um pouco de lado. um pouquinho só. porque o presente é agora. e o futuro logo vêm.

domingo, 28 de julho de 2013

dos sonhos que nunca terminam. (2)


"Dentro de mim há uma fábrica de sonhos. Sonhos dos quais, eu chamo de infinito. Porque quando um acaba, outro começa. E quando um começa, já tem outro na fila esperando sua vez ."

(Aghata Paredes)

terça-feira, 23 de julho de 2013

pro dia do amigo. que pra mim é todo dia.


Amigo é que nem café: desperta a alma e dá aquele up gostoso pra seguir a vida com leveza e alegria.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

das introspecções literárias.


"Faço o possível para mergulhar bem fundo dentro de mim e retirar belas coisas simples"

(do livro 'Correspondências' - Clarice Lispector)

sexta-feira, 19 de julho de 2013

dos livros que entram na gente.


E depois de um dia de rotinas e movimentos, me sinto como se estivesse em Madrid, entre encontros casuais, enamoramentos e uma discussão profunda sobre um romance francês do século XIX.

domingo, 7 de julho de 2013

be patient.


o mundo se move.
você também.
as coisas acontecem.
no seu tempo. no seu momento.
você só precisa ter paciência.

sábado, 6 de julho de 2013

dos cafés e dos sentimentos [por inteiro].


não se mata a fome com migalhas.
definitivamente, não.

faz aumentar o apetite.
e não satisfaz.

pura falta de amor-próprio.
nada a ver com a solidão.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Poesia é quando uma emoção encontra seu pensamento e o pensamento encontra palavras.



Achei anotado no meu caderno de francês.
Não lembrava onde li, nem de quem era.
Muito menos quando eu escrevi aIi.
Achei até que fosse minha, a frase. 
Aí descobri que é do Robert Frost.

Que chato esse Robert que roubou minhas palavras!

quinta-feira, 4 de julho de 2013

da voz que tem razão.


intuição, coisa que vêm de dentro.
do coração.
não da razão.

uma voz que grita
pra gente silenciar.
sentir.
e se deixar levar.

sábado, 29 de junho de 2013

das leituras que cabem na vida da gente.


"Iniciativa é uma das características mais poderosas que você pode ter."

(Bel Pesce) 

ela se refere ao empreendedorismo.
eu me refiro à vida.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

dos cafés e da chuva.


barulho de chuva lá fora.
café que aconchega.
livro. palavras. francês.
sonhos. realidade.
vontades.
desejos.

e a paz de espírito que me acalma
                                         [por inteiro].

dos sonhos que nunca terminam.


Então, um sonho se realiza. E ela já começa a pensar em outros. A sonhar mais. A planejar coisas novas. A vida profissional finalmente se encaminha, se equilibra. E a tranquiliza. Ela finalmente se encontra feliz por achar uma paixão, um hobby, um lazer e um trabalho. Todos numa coisa só. Realizada, enfim, profissionalmente.

E ela? E sua vida pessoal? E seus sentimentos?

Pois é chegado o momento de cuidar do seu coração.

terça-feira, 25 de junho de 2013

(in)explicações.


É incrível os movimentos que a vida faz. E como a gente movimenta ela. E em como acreditar faz sentido e tudo passa a dar certo também. Acho bárbaro, mesmo sem entender direito, essa sincronicidade entre pessoas, mesmo distante, das coisas funcionarem exatamente na mesma medida. Amizade, sincronismo, fé. E a capacidade de viver intensamente.

Certas coisas realmente não se explicam.

dos cafés e do amor.


“Um café e um amor. Quentes, por favor!
Sem excessos de doçura ou amargura.
Forte.
Doce.
Que ambos façam meu coração acelerar.
Que me mantenham vivo.

Um café e um amor. Quentes, por favor!
E que de nenhum deles eu sofra de vício.
Mas que de ambos,
Eu possa me dar ao luxo do hábito.

Um café e um amor. Quentes, por favor!
Pra ter calma nos dias frios.
Pra dar colo
Quando as coisas estiverem por um fio.

E que eles nunca tenham gosto de ontem
Nem anseiem pelo amanhã
Que me façam feliz nesse agora,
Que me abracem pela manhã.

Amargos, suaves
Intensos, sutis
Saborosos!
E quentes.

Um café e um amor. Quentes, por favor!” 

(Caio Fernando Abreu)

terça-feira, 18 de junho de 2013

quinta-feira, 13 de junho de 2013

das sensações mais leves.


eu gosto de café. do cheiro. do sabor. das companhias. de tomar sozinha. dos cafés diferentes. e das imensas variações da bebida. gosto dos livros. gosto do dia. e da noite. (embora, muito mais do primeiro). gosto de pessoas bem-humoradas. gosto de pessoas cultas. gosto de filmes diferentes. que a gente sente, muito mais que aqueles que só se entende. gosto de viajar. de conhecer gente diferente. culturas diferentes. gosto de gastronomia. (muito mais de experimentar que preparar - sou melhor com cafés). gosto de idiomas. e de música que me faz bem. gosto dessa coisa boa que é gostar de alguém. e que eu não me lembro muito bem como é. mas lembro que é bom. gosto das conversas inteligentes. das amizades que não se perdem com o tempo (só ganha-se saudade e histórias pra contar). gosto de poesia. gosto de fazer o que amo com dedicação. gosto de escrever. ler. sonhar. gosto do sol. embora menos, gosto da chuva também. gosto de fotografia. de ficar quietinha no meu canto. gosto das manhãs. do outono. da simplicidade das coisas.

e é essa poesia que faz meu dia a dia ficar mais leve. E eu gosto muito.

terça-feira, 11 de junho de 2013

do silêncio e dos livros.


Antes de passar uns dias de férias numa praia, queria eram uns dias de férias dentro de uma imensa biblioteca. Eu e o silêncio dos livros.