dos meses em poesia.


setembro acabou de repente
sem sentir o tempo das coisas
se foi assim
piscando olhos
faltando primavera
e romance nos dias
sobrando pensamentos
e alegria de dias em cores
viagens doces
encontros gostosos
                         [ou nem tanto]
desencontros
esperas e demoras
e amigos pra qualquer hora

termina setembro
leve como o vento
rápido como o tempo

e eu vou embora
porque de poesia já deu por ora
e amanhã outubro é
e que seja
outubro do bem
e do bom também.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Instabilidade emocional

Pois é, Trintei!!