segunda-feira, 29 de abril de 2013

dos diálogos que não me satisfazem.


queria falar sobre arrumações. sobre relacionamentos que só não dão certo quando são romantizados demais. sobre flores. e cafés. e livros lidos e os que ainda não li. queria falar sobre amor. poesia. queria relatar em algumas palavras como um sorriso doce me alegra o dia. usar sinceridade nas entrelinhas. falar da paz de espírito. de ser feliz. e estar feliz. falar das coisas simples. dos olhares que penetram na gente e dão arrepios. das rotinas. da infância. queria falar da natureza. e do homem que destrói a natureza. e do homem que a protege também. queria conversar. conversas inteligentes. troca de ideias.

queria apenas ser eu. conversar do meu jeito.
não do seu.

sábado, 27 de abril de 2013

do que não tem lógica. (mas faz sentido).


Às vezes queria fazer certas coisas sem usar a razão, e no dia seguinte, estar leve e com total isenção de culpa de tudo.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

humor.


ver leveza onde a vida parece pesada. ver alegria onde a vida parece triste. ver graça onde a vida parece séria. ver doçura onde a vida parece amarga. ver sorrisos onde a vida parece rancor. ver amor onde a vida parece solidão. deixar o riso correr solto onde o choro aperta.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

da vida passada à limpo.


Desses meses, abril foi o mais movimentado até o momento. Ou melhor, está sendo. Mas um movimento bom. Daqueles que as coisas começam a tomar seu rumo, irem pro lugar. Passei uma época em que eu tinha muito tempo pra nada e hoje, está o inverso. Mal tenho tempo pra mim. Mas está bom como está. Como estou. Encontrada. Realizada. Definitivamente chegando ao pico da minha vida. Não me refiro à idade, mas ao meu crescimento em todas as direções. Me refiro às minhas decisões e mudanças internas. Hoje consigo fazer tanta coisa que nem sonhava um dia conseguir. Consigo andar com meus próprios pés, assumir riscos, resolver problemas. Entrei no mundo de "adultos" tão pavoroso pra uns e outros, com todos os percalços e desafios que ele contêm. E sobrevivi. Mais forte. Mais determinada. Mais feliz.

Fiz as pazes com a vida que andava meio de 'mal' comigo (e eu com ela). Passei por fases de desencontros, de indecisões, de espera por amores que nunca viriam. Caí, me machuquei, me quebrei. Fui para outros caminhos. Descobri amizades incríveis, uma paixão de outras vidas que me fez seguir adiante e descobrir minha verdadeira vocação. Viajei pra longe. Sozinha. Venci medos. Aprendi a ter amor-próprio e não mendigar o amor de ninguém. Nem aceitar migalhas. Aprendi a ser eu mesma. Como sempre fui, mas sem aquela timidez que me atrapalhava em outros tempos.

Chegando ao ponto máximo, espero colher os louros que virão, sabendo que continuarei a aprender muito e terei outras 'pedras' no caminho para desviar (ou quebrar). Por isso sigo focada nos meus objetivos, determinada e confiante na minha pessoa. Sozinha, mas sempre junto dos que fazem dos meus dias, poesia. Estes que me ajudam também, a realizar sonhos.

domingo, 14 de abril de 2013

dos sinais que expressam vida.

 
Palavras, ainda bem que elas existem.
E quando elas faltam, existe a música.
E os olhares.
E os sorrisos.

das músicas de ontem.

Bom é ouvir música antiga e lembrar sorrindo doces amores da vida.

segunda-feira, 8 de abril de 2013

doux anniversaire.


doux anniversaire.
dia de celebrar.
alegria.
ano novo da minha vida.

das muitas felicitações.
das pessoas que se fazem lembrar.
da vida que me faz mais feliz.

comemoro.
mais um ano. muitas memórias.
conquistas. realizações.
crescimento. vitórias.

e um novo ciclo se abre.
ah, doce aniversário.

domingo, 7 de abril de 2013

da vida em ciclos.


E essas coisas de ciclo que termina e ciclo que começa sempre se ganha algo de bom. Aprendizados. Maturidade. Crescimento. Evolução.

Esse último ciclo foi difícil, complicado, movimentado, tenso. Vontade de desistir, tive horrores. Mas persisti. Meu presente? Chegar aqui diferente. Para melhor! Me orgulho disto. E me orgulho das minhas últimas decisões também. Mas o que mais me orgulho é lutar contra a maior de todas as minhas dificuldades: a solidão. Não foi fácil, e não é, mas consegui. Hoje sou capaz de ir sozinha a qualquer lugar, buscar o que quero segura de mim e andando com minhas próprias pernas. Confesso que, muito consegui isso graças a pessoas que um dia acreditei serem minha maior segurança (doce ilusão!) e que não podia fazer nada sem a ajuda delas. Hoje agradeço a elas por me fazerem crescer (mesmo sem elas saberem que o fizeram) e ainda, sinto-me muito mais segura sem elas ao meu lado, ao contrário do que um dia eu pensava.

A gente se engana. A gente cai. A gente se quebra. Mas a gente, com a força do amor, fé e alegria em viver, levanta, espana o pessimismo e as coisas ruins e segue o barco muito mais confiante em si mesma. E eu segui. E ainda sigo.

Assim sou eu. Nunca igual. Melhorando a cada dia. Sempre Ane. Sempre em frente. Sempre feliz. Simples assim!

sábado, 6 de abril de 2013

not strong enough.


"I waited for so long
Outside myself
You see I was pretending
To be someone else
I was longing to see
Who i wanted to be
...

And I've been waiting on my own
I've been waiting for too long
Not strong enough to be with you
And I've been making up my world
I've been painting it with gold
Not strong enough to see you

I irrigate illusions
Then let them grow
How can I pacify myself?
And let go
And I run wild to see
Who I turned out to be
...

I've been waiting on my own
I've been waiting for too long
Not strong enough to be with you
And I've been making up my world
I've been painting it with gold
Not strong enough to see you

I've been waiting on my own
I've been waiting for too long
Not strong enough to be with you
And I've been making up my world
I've been painting it with gold
Not strong enough to see you!!"
♫ ♫

(Too long - Yael Naim)

E essas histórias que se repetem na vida da gente, hein?

sexta-feira, 5 de abril de 2013

das cartas que não viraram amor.


"Quando você chegou, gostei do seu jeito, da sua pessoa. Do modo que você chegou em mim. E apesar da distância, das conversas virtuais, você me atiçou de um jeito que me fez encher de vontades de te encontrar e te conhecer mais. E melhor. 

Mas aí você me disse coisas que me decepcionaram. Como te falei outro dia, já passei por situação semelhante e sofri horrores com isto. Não quero cometer o mesmo erro. Por mais química, por mais tesão que tenhamos um pelo outro, sei que no final quem vai acabar se machucando sou eu.

Já vivi aventuras, situações perigosas na vida. Hoje quero a tranquilidade dela. Quero ser feliz! E não dá pra conseguir isso do jeito que você me pede. Quero um alguém que me queira e faça de tudo pra me ter. Sem desculpas. 

Se você me quer, se você gosta de mim, se você quer ficar comigo, faça por merecer. Do contrário, prefiro não me envolver. Tentarei assim, administrar essa paixão entre nós de outra forma. Mas prezo sua amizade. Gostei de te conhecer. E gosto muito de conversar com você.

É estranho esse desabafo, pois nos conhecemos tão pouco. Porém, às vezes parece que nos conhecemos de muito tempo.

Espero que você me entenda.

Um beijo, com muito carinho."