sábado, 31 de dezembro de 2016

serenidade/espontaneidade.

Que a chuva que cai lá fora lave a alma da gente; e que o sol saia em seguida trazendo alegrias; que aquela notícia boa chegue, as coisas fluam, a música não pare e você dance, dance, dance...

Que nunca percas sua espontaneidade infantil, que descubras, em meio ao caos, que serenidade é lar. Que o simples seja visto como o mais importante; que esbarres em sorrisos e olhares de candura; que o bom humor seja rotina, e o amor, poesia.

Que você aceite os erros do passado e permita-se curtir mais os momentos. Que você se preocupe menos e aprecie mais. Desista menos e arrisque mais. Que nunca pare de sonhar! Que realize tudo o que sonhou. E quando acabar, sonhe mais. E realize ainda mais.

Que sejas leve, sejas livre! Que tenha fé, coragem e entusiasmo no que fizer. Que diminua o açúcar na comida e aumente os afetos na vida. A doçura está no coração!

Que tu te recordes do que ficou, que na vida nada se perde, tudo é cíclico. Tudo muda, melhora e se transforma!

De vez em quando transformo palavra em carta e desejos que tudo se realize. No início, no fim, no meio. Pro ano novo que vem aí! E para todos os outros.

Feliz 2017! Feliz dias novos!

(Texto 6 de 7).

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

empatia.

Uma das conquistas que tive em 2016 foi voltar a atuar na minha profissão de nutricionista. E o melhor é que, mesmo alguns anos trabalhando em outra área, voltei num entusiasmo parecido com aquele que temos quando nos formamos recentemente, mas com uma cabeça totalmente diferente.

Mais experiente e madura, voltei também com algo a mais, que me ajuda muito e torna mais especial as consultas que faço, com todos os meus pacientes: estar presente! Olhar no olho, entender sua história, escutar atentamente, sentir o que ele está sentindo. A partir daí, consigo montar um planejamento que caiba direitinho na vida dele(a).

E então, comecei a levar isso mais além, nas mais variadas conversas e encontros que tenho por aí. Quando nos colocamos no lugar do outro, deixamos de ser umbiguistas e egoístas, e passamos a ser mais humanos. A vida fica bem mais interessante quando enxergamos ela de outros pontos de vista. A mente amplia. O coração sente muito. E tudo passa a fazer sentido.

Que em 2017 tenhamos mais empatia pelo próximo. Porque não há nada mais nobre do que entender e sentir as dores, vontades, desejos, sonhos e histórias do outro.

(Texto 5 de 7).

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

autoconfiança.

Para conquistar nossos objetivos, devemos começar aos poucos, sem pressa, mantendo a cabeça erguida e o foco aonde queremos chegar. Reconhecer cada avanço, cada vitória é saber que tudo é possível graças a nossa força interior. Nunca se culpe em confiar em si mesmo! A simples ação em seguir seu coração e confiar que vai dar certo - porque você é capaz - faz movimentar o mundo! E autoconfiança é o que nos coloca em movimento, que conecta as pessoas certas, na hora e lugares certos.

Não adianta nada criar mil e uma metas para os próximos dias, meses e anos, se a gente vive se boicotando e nos colocando pra baixo. Lembre-se que nós somos os responsáveis por nossas escolhas e nossa vida. Somos o protagonista da nossa própria história.


Que em 2017 você se vista de si mesmo, ouça sua voz interior, respire fundo e confie: você pode! Faça deste próximo ano, o melhor da sua vida! E não pare até se orgulhar!

(Texto 4 de 7).

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

coragem.

Sai ano, entra ano e a gente sempre cheios de novas intenções para um novo ciclo. Metas, planos e sonhos, que muitos dos quais são deixados no meio do caminho logo que esbarramos no primeiro obstáculo. Entre medos bobos e receios infantis, deixamos de realizar feitos incríveis e fazer história.

Para começar qualquer coisa, para que o ano novo seja diferente do anterior, precisamos de muita criatividade para se reinventar a cada dia. Desfazer limites. Confiar em si mesmo. Encontrar nossa melhor versão. E agir mais, afinal, sem tomar atitudes fica difícil sair do lugar.

A vida é contínua e feita de instantes únicos. Há que se fazer uma história bonita para lembrarmos (e nos orgulharmos) depois. Só depende da gente. E, apesar dos pesares do mundo, que haja coragem para seguir adiante. Pra iniciar, reiniciar e perseverar sempre. Se houver medo, vamos com medo mesmo, mas que não percamos a fé.
 

(Texto 3 de 7).

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

fé.

Gosto dos últimos dias do ano, das arrumações nas gavetas, no armário e no coração. Faxina de alma! Um mundo dentro da gente vêm à tona. A contagem regressiva para o fim do ano renova esperanças. E por mais que tenha sido um ano difícil (e em todo ano há dificuldades), os fogos de artifício da meia-noite de 31 de dezembro fazem milagres na gente. Sonhos são despertados. A fé reacende. Vislumbramos o bem e as coisas boas. Mas precisamos resgatar essa fé todos os dias dentro de nós. Transformar o dia a dia em "ano novo". Para a gente perseverar e se reinventar. Para deixar a vida mais leve, mesmo em meio ao caos.

Fé é o que nos salva. Confiar no invisível, ver o lado bom em tudo. Um novo ciclo é uma nova oportunidade para agir, tomar atitudes, realizar planos. Ser feliz!

2017 pode ser o ano mais incrível da sua vida. Basta acreditar. É mágico!

(Texto 2 de 7).

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

desapego.

Entender que tudo é passageiro; que tudo que vêm, vai embora mais tarde. Simplesmente deixar ir!

Os anos passam, a gente muda, evolui e nossas conexões se aprofundam. Nos desconectamos de pessoas que fizeram história na nossa vida mas que por algum motivo, seguiram outro rumo diferente do nosso. A gente se afasta e nem entende o porquê. Perdemos pessoas, mas ganhamos no impacto e mudanças que elas nos causaram. E todas (as que ficam e as que vão) têm uma razão para estarem na vida da gente, no tempo delas, no momento certo. Assim como nós fomos (e somos) importantes pra muita gente também.

Encontros, desencontros e reencontros nos transformam e nos movem constantemente.

Libertar- se do que não faz bem, soltar, desapegar, deixando entrar sentimentos positivos e pessoas do bem: pro ano que está pra chegar. E pra todos os outros também
.

(Texto 1 de 7).

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Feliz Natal!

Que em 2017 você se sinta capaz de levar a vida com mais entusiasmo e espontaneidade; que viva mais os instantes e momentos; aprecie a vida ao seu redor e se preocupe menos; que as relações sejam mais humanas e menos mundanas.

Que você tenha carinho e cuidado com seu corpo, sua mente e seu espírito; e gentileza com o próximo. Que você encontre prazer nas coisas mais simples e desfrute da companhia de quem lhe faz bem.

Que você leve a vida com fé. E algumas xícaras de café. Que sua alimentação seja mais amorosa e sua vida mais doce. Que sejas feliz!

Feliz Natal e boas festas!
Anelise Minghelli - Nutricionista 

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

2016, gratidão.

2016, ufa! Foi de tirar o fôlego! Comecei o ano com tantos objetivos. Tive desafios e preocupações, mas acima de tudo, aprendi a apreciar o momento. Estar presente de corpo, mente e coração no agora. Foquei no que realmente importa pra mim. Confiei na pessoa responsável pelo
meu próprio destino (eu mesma). Descobri o real sentido de ser a protagonista da minha própria história. Enxerguei oportunidades nas dificuldades. Engoli orgulhos. Enfrentei medos antigos. Lutei contra a ansiedade. Corri muitos quilômetros só para provar pra mim mesma que limites existem para serem quebrados. Escutei minha intuição (e me deixei levar por ela). Entendi o real sentido de "entusiasmo" nas coisas que vêm do coração. Optei por aquilo que me faz vibrar e coloquei toda a energia a meu favor, encontrando muito mais "sins" do que "nãos" no caminho. Conheci pessoas incríveis que me levaram a outras mais incríveis ainda. Me deparei com um outro lado meu, mais maduro, criativo, cheio de projetos para mudar o mundo.

Entre tanto cair e levantar, encontrei meu equilíbrio e a minha melhor versão. Fui apenas eu mesma todo o tempo, mas de um jeito mais extraordinário que antes. Me conectei com minha essência, movimentei a vida. Em retribuição, ela vai devolvendo esse ir e vir, fluindo em ritmo crescente. E me levando cada vez mais além.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Parar, respirar, deixar fluir... Se conectar consigo mesmo. Esquecer o passado, tomar um espresso. Me expressar em palavras não ditas, mas sentidas - muitas vezes escritas - ajuda a me situar no presente.

Nas corridas me inspiro. Em um café, suspiro. Escrevo. Sinto. E deixo vir à tona o que guardava no peito.