Postagens

Sobre ausências e o que se torna eterno.

Hoje o céu está em festa. Irmãs e mãe reunidas de novo. “A gente corre o risco de chorar um pouco quando se deixa cativar”, já diria Saint-Exupéry. E chora mesmo. Mas a gente sabe também que tudo tem um ciclo, que nada é pra sempre, e que as pessoas que passam pelo nosso caminho são insubstituíveis, incríveis e deixam em nós um pedacinho delas. Sorte a minha ter sido colocada nessa família, de mulheres fortes, batalhadoras e amorosas. Alegria em crescer aprendendo com o que elas me ensinaram. E levar tudo isso além, para as minhas experiências, sonhos, projetos e meu próprio destino. Desse quarteto lindo ficam as boas recordações, as histórias engraçadas e felizes (como lembranças de encontros familiares ao redor da mesa da cozinha da tia, entre jogo de cartas, caipirinha e amendoins). Guardo em mim a essência das mulheres da nossa família. Porque quem eu sou devo muito a elas também. Gratidão e amor!

Sobre caminhos.

Quando você tiver dúvidas de qual caminho escolher, opte sempre pelo mais bonito. E contemple o trajeto! Os obstáculos viram brincadeira, e a meta atingida, felicidade plena!

Do livro "Moscas no Labirinto".

"Tenho fé na emancipação, respeito o momento que o ser toma as rédeas da sua vida e se conscientiza das escolhas que faz, dos seus talentos e paixões e se entrega. A hora fatídica em que os anjos dizem amém e te dão força para agir no sentido dos teus sonhos." (Eliana Rigol)

Porque se até a natureza muda, e muda o tempo todo, nós também podemos mudar.

Transforme-se, cariño!

Dos recomeços.

“Hoje eu peguei dez folhas de plátanos do chão da praça. Vou te dar cinco e ficar com as outras cinco pra mim. Cinco representa o mês de maio e dez, a nota que dou para esse dia especial. Porque quando duas pessoas se unem, é para somar e ao mesmo tempo dividir a chance que a vida nos dá para um recomeço!”
Meu propósito maior no momento é mudar o mundo através das palavras. E correr uma meia maratona. Aí o foco muda e as prioridades também. Não tem nada mais gratificante que encontrar o que te movimente e te tire da zona de conforto. Algo que te transforme, te faça ser a melhor versão de si mesma pra poder ajudar outras pessoas. E aí, quando menos tu espera, encontra alguém que desperte um sentimento incrível que andava adormecido lá dentro do teu peito. E tu te vê sorrindo sozinha, sem motivo aparente, no meio de uma tarefa do dia. Para que seja mantida a ordem e a reciprocidade do universo, tu sem querer (mas no fundo, querendo muito) ajuda essa pessoa a encontrar a melhor versão dela também. Em sincronia com essa energia, como uma forma de recompensa, tu esbarras numa vida, louca e linda, cheia de sentido, de sonhos e de alegrias.
Que nossas certezas sejam desconstruídas para dar espaço a novas histórias; que o amor seja a meta e a vida, o caminho. Que façamos planos para mudar o mundo, que comecemos por dentro, mudando a gente. Que os sonhos virem destino para muitos, e não só para nós mesmos. Que a vida vire um livro de crônicas com poesia nas entrelinhas. Que sorrisos virem rotina. Que às vezes nosso “eu” seja desfeito para sentirmos o outro. Que a felicidade transborde e possa ser compartilhada. Que haja mais corações e ternura em mensagens de texto. À noite, que inventemos caminhos novos pra trilhar juntos, num futuro próximo. E que tu lembres de escrever bilhetinhos de agradecimento ao universo. Para a tua esperança retornar de manhã cedo e acender estrelas no teu coração. Cada dia é uma pequena vida. E pra cada uma, paz, alegria, amor. Gratidão!
Na corrida de hoje, passei por trilhas de folhas secas que as árvores um dia se desapegaram. Parei para contemplar, receber a mudança, sintonizar com o novo. Deixar ir o que já não me pertencia. Aprendi com as árvores. A natureza é sábia. Com o fôlego e a energia renovados, o corpo corre feliz enquanto a alma voa, deixando-se levar pelo fluxo da existência.