Às vezes me dou um tempo. Pra fazer listas, planejar o futuro, derramar palavras no papel que vem do coração, ler livros em outro idioma, ver o entardecer de outono, terminar aquele livro abandonado há meses, escutar jazz, ouvir a voz interna que guia e acalma, mudar a rota dos planos, transformar ideias em movimento. Preciso dum tempinho para um café, para respirar fundo, suspirar e escrever o que senti quando teus lábios encontraram os meus. Para estar aqui, viver o agora, muito mais que existir. Um tempo para SER.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Pois é, Trintei!!

Instabilidade emocional