À espera

Acordou eufórica naquele dia calmo de agosto. Estava frio, porém sua excitação pelo que lhe aguardava em breve a aquecia. Ansiosa, tomou um banho rápido e preparou um café. Sentou em sua poltrona, saboreando-o e aguardando o telefonema tão esperado. Que horas ligaria? Terminou o café e foi lavar a xícara. Limpou a cozinha, depois pegou um livro na estante para ler, mas desistiu da leitura logo que começou. Sem cabeça para leituras. Muito ansiosa! "Toca telefone!", implorava. Nada. Foi para a janela, olhou os carros na rua, o trafégo, as pessoas apressadas se batendo, se empurrando... Com tanta pressa de chegar a algum lugar. Ou a lugar nenhum! Tanto fazia, só queria ouvir aquele barulhinho tão aguardado. Aquele "triiimm" nunca foi tão desejado. O dia passou, e ela já estava perdendo as esperanças. "Acho que ainda não será hoje!", pensou. "Mas ele tinha prometido".
Perto das seis horas da tarde, resolveu preparar algo para comer. Já estava quase anoitecendo e imaginava que ele havia desistido. "Vai ver não era para acontecer mesmo". Até que, o aparelho fez o som esperado. Saiu correndo para tirar o fone e atender. Ia atender no primeiro toque, mas esperou um pouco. Não podia deixar transparecer sua ansiedade. "Mas, será que é ele?", disse. Receosa, atendeu:

- Alô!
- Por gentileza, a Sra. Lúcia Gusmen.
- Sim, sou eu. Pois não? - (o coração disparava)
- Olá! Sou Rubens, do RH! Havia dito que ligaria hoje para dar a resposta.
- Pode falar! - (suas mãos tremiam)
- Acabamos de estudar seu currículo e sua entrevista feita semana passada. Pelo o que vimos, você se encaixa perfeitamente no cargo que precisamos aqui na empresa. Gostaria que viesse amanhã começar a dar entrada em seu ingresso aqui na firma.
- Claro! Que horas tenho que estar aí? - (parecia não acreditar no que escutava)
- Às oito horas da manhã. Quando chegar, peça para falar com o gerente, Sr. Flávio Gomes.
- Está bem, estarei lá. Muito obrigada!
- De nada. Até amanhã, então!
- Até!

Estava radiante! Seus olhos brilhavam de contentamento. Não acreditava que, depois de tanto tempo sem emprego, procurando tanto por inúmeros lugares, enfim conseguira um trabalho. E um trabalho excelente, com um salário muito bom! Sonhou tanto com esse dia... E enfim ele chegou! A vida estava começando a lhe trazer os frutos; começava enfim, a melhorar. Pelo menos era o que ela esperava. Sensações de alegria e entusiasmo percorriam por cada pedacinho do seu corpo. Era uma notícia boa, a tempos não recebia uma. Tinha vontade de gritar ao mundo o quanto se sentia feliz! Precisava ligar para seus amigos e contar a novidade. Mas não, por enquanto pensou em guardar só para si, no momento certo eles iriam saber.
Foi para a cozinha, abriu uma cerveja estupidamente gelada e comemorou sua conquista. E que cerveja deliciosa. Esta tinha um gosto diferente: tinha um gosto de vitória!

Comentários

  1. Adorei o texto, estou passando por um momento parecido, só falata receber a ligação...rsrsrsr!!!
    Parabéns!!!

    http://blogdale.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Achei muito legal seu texto. *-*
    Me identifiquei bastante com ele. *0*

    Parabéns! ^-^

    ResponderExcluir
  3. Você sabe "passar para o papel" aquilo que pensa.

    ResponderExcluir
  4. O universo 42 tem razão e isso é bastante raro nos dias de hoje,eu mesmo nao consigo as vezes.

    ResponderExcluir
  5. Ane!
    Perfeito, eu adorei!
    No principio pensei que ela estava à espera de um "amor"...
    ...mas me enganei, ou mlehor, vc me enganou direitinho! kakakakak!
    Adoro te ler!
    Beijocas!

    =D

    ResponderExcluir
  6. aehieahuioaerhuioaerhuiohera muito bom :D
    eu fiquei ansiosa pelo futuro da personagem!

    ResponderExcluir
  7. sim, a caça de empregos, jah tenho meus planos em mente, durante a faculdade eu vou estagiar, aí facilita ;]

    ResponderExcluir
  8. Ficou muito bom.
    Deu para snetir a tens�o dela e e depois a alegria que ela estava sentindo
    muito bom parab�ns ;*

    ResponderExcluir
  9. Oo.. aconteceu cmg!!! e a pouquissimo tempo...
    e o melhor de tudo : tanto emprego qnto amor!!
    *-*

    parabens pelo blog, voltarei sempre aki

    ah e se vc naum se importa vou te colokar na minha lista de favoritos =]

    bjooooo


    http://meus-sonhos-vazios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Aff...Já passei por isso.
    Ainda bem que hoje não passo mais por isso...rsrs

    http://maynabuco.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Very Cool.
    É horrível essa sensação. Ficar esperando o telefone tocar para saber se vai ou não ter um trabalho. E as vezes, quando toca, é uma resposta negativa.
    Adorei o texto!!!
    xD
    Senti sua falta lá no meu blogue, tem post novo, okay? Espero você lá!!!
    xD
    abraços

    ResponderExcluir
  12. Isso me lembra que estou precisando de emprego, mas ninguém tem me ligado! heheh
    Quem me dera se o blog fosse um emprego hahaha
    Bjocas

    ResponderExcluir
  13. Ain, essa tal ansiedade. Também espero A LIGAÇÃO.

    Beijos e adoro o espaço.

    ResponderExcluir
  14. tbm esperando a tal ligação...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Instabilidade emocional

Pois é, Trintei!!