vou te contar...

era noite. pessoas me acompanhavam em um carro que não reconheci. eram amigas, mas ao mesmo tempo desconhecidas... íamos em algum lugar que você havia me convidado. aliás, você já devia estar me esperando. enfim nos encontraríamos. minha ansiedade era grande e a expectativa em te ver, maior ainda. chegando lá, tinha gente que não acabava mais. uma multidão de rostos que nunca vi. ou talvez, algum dia tenha visto e nunca reparado. tinha alguns parentes, amigos, amigos de amigos e muita gente estranha. era uma festa de formatura. ou uma confraternização qualquer. eu ligava para o seu celular te procurando. você atendia sem dizer uma única palavra. ou era eu que não ouvia direito. conseguia apenas escutar o som da sua respiração. e nada mais. porém, eu sabia que você estava naquele lugar em meio a tantas pessoas. meu instinto dizia isso. em desespero e me sentindo solitária em meio àquele monte de gente, tentava a todo custo te encontrar. caminhava para um lado e para outro. esbarrava nas pessoas. entrava naquela casa enorme que eu nunca tinha estado antes, mas me parecia muito familiar. ia até a cozinha, sala de estar, de jantar... subia os degraus, descia, ia até o quintal... era tanta gente num lugar que não acabava mais. mas nenhuma delas era você. nem por isso desisti de te procurar. precisava te ver. foi quando te senti próximo a mim. o celular vibrou no meu bolso. ouvi um barulho. olhei para o lado. e então...

eu acordei.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Instabilidade emocional

Pois é, Trintei!!