Paz interior


Entre ruas movimentadas, pessoas apressadas, carros passando acelerados com seus motoristas estressados, gente atrasada para chegar em algum lugar, conversas, preocupações, ela passeava pela multidão numa solidão necessária.

Colocou os fones nos ouvidos e numa música leve e alegre entrou em um mundo só dela. Um lugar tranquilo! Sorria para os que passavam, tantos rostos desconhecidos. Admirava as poucas árvores que ainda restavam naquela selva de pedra que se tornou sua cidade. Analisou tudo o que havia vivido até ali. Tantas dificuldades, perdas, desilusões... Concluiu que os problemas se tornam pequenos quando se olha a vida com outros olhos e talvez assim mais fáceis de serem resolvidos. A vida sem problemas não teria graça.

Aquela dor no peito que a incomodava por tanto tempo enfim aliviara. Já conseguia respirar melhor! E entre a correria das pessoas, ela caminhava sossegada, desviando de cada um que passava, em paz consigo mesma. Naquele dia lindo de sol e um céu azul perfeito, ela só pensava em uma coisa: "ser feliz", e nada mais.

Comentários

  1. É mesmo Ane. Os problemas fazem parte da vida. Por isso alguns dizem que a verdadeira felicidade é o caminho e não o fim.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga avassaladora... Ane.
    Gostei da leveza das suas tecladas... até nomear de interpretações os comentarios é bem sacado...
    venha nos visitar tb.
    http://avassaladorasrio.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. e tão bom quando estamos bem com nós mesmas e deixamos tudo que nos deixa triste para simplesmente viver em paz!

    ResponderExcluir
  4. Gostaria que meus fones de ouvidos tivessem esse efeito magico de me fazer esquecer os problemas e gritar: Vai menina, vc é feliz, e não pode abaixar a cabeça!!!
    As vezes até tento, mas viver é complicado!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. belo texto! se prestar atenção dá para relacionar com o nosso cotidiano

    ResponderExcluir
  6. Quando eu tinha algumas coisas, eu queria mais paz. Depois numa época que eu perdi muito, eu ainda queria paz.

    Será que a gente só terá paz quando tiver tudo? (ou nada?)

    Não sei. Mas palpito: o meio termo leva a uma certa mediocrização...

    ResponderExcluir
  7. Ane, essa seria uma regra para todo e qualquer ser humano imerso em problemas ou entediado com seu cotidiano.
    Basta olhar à volta e reparar em coisas que sempre estiveram ali, mas estávamos imersos em problemas que não nos demos conta.
    E quando reparamos nisso, muitas surpresas boas podem ocorrer em nossas vidas.

    ResponderExcluir
  8. A vida é feita de problemas e a verdadeira arte é saber contorná-los!

    ResponderExcluir
  9. Gostei de seu modo de escrever, não sei se é por ser homem, ou por que a sociedade me destrói interiormente, mas não consegui ler o texto todo por ser muito sesível, o texto não eu, fui bem sincero, entretanto o que li deu para perceber que você deve ser uma pessoa bem meiga, carinhosa e simpática, adorei!

    ResponderExcluir
  10. Vc pegou um tema banal e deu dignidade a ele, num texto simples, honesto e bem escrito.
    Vale a leitura.
    E a releitura, até.

    ResponderExcluir
  11. Texto gostoso de ler, trás leveza e sutilidade. Não os fones e sim a música que se é escutada no momento pode fazer esquecer os problemas.

    Beijos, felicidades hoje e sempre :)

    ResponderExcluir
  12. Ane,
    Conforme o caminhar os conflitos vividos parecem menores, amenos.
    Isto se chama 'maturidade'.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Parece cena de final de filme!
    Queria assistir. Escreva o início e o meio! :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Instabilidade emocional

Pois é, Trintei!!