terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

da fé que não costuma falhar.


Então disseram para não desanimar quando tudo dá errado. A pessoa que mais acreditava nas coisas da vida, se vê cética do mundo. O choro, o descontentamento, o desânimo vêm à tona juntos, numa enxurrada pelas portas do coração. Dois caminhos surgem: o da desistência e o da persistência. Nessas horas, o primeiro parece tão mais fácil. Mas a pessoa é forte. E têm gente que não admite que ela escolha a opção 1. Apesar da dificuldade, isso lhe dá mais confiança. Nela. Nas coisas. Na vida. E aí ela persiste. E se reinventa. E evolui. Realizando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário