Doce inquietude II

Ainda não se sabe exatamente o que é esse sentimento que veio chegando aos pouquinhos, sem ser percebido, pelo menos não do jeito que era para ser. Mas é algo definitivamente grandioso! E como é bom sentí-lo... Ah, isso sim.

O carinho que sinto é imenso, a saudade insuportável! Saber que não posso estar com ele gera uma sensação de impotência tão forte que me sinto absurdamente pequena.

O que era para falar, já foi falado (tirei um peso enorme do meu peito). 
O que era para fazer, já foi feito (pelo menos da minha parte, apesar da demora em agir).
Agora, o que me resta é esperar... Será?

Já não sei mais.

Comentários

  1. MINHA QRIDA, o tempo falará por ti,o tempo mostrará as coisas para vc, agora quem sabe seja tempo para refletir e se resguardar um pouco...beijão!!!

    OBS:Cuide bem desse coração

    ResponderExcluir
  2. Saudade não tem forma nem cor; não tem cheiro nem sabor.
    Fala-se nela, mas não se vê; só pensa nela quem acredita.
    Ela é parte da ausência; ela é parte do amor; ela tem realidade, mas quem a tem sente dor, uma dor miudinha, que cresce no coração, e que nunca vem sozinha…
    Acompanha a solidão; quem a sente nunca esquece, nem nunca esquecerá, o sentimento que não adormece, por alguém que não está!

    muitos vez tb estou assim...

    carlos jordão

    ResponderExcluir
  3. Sem quer... encontrei teu blog... e me revi em tantos e tantos textos... que fiquei com uma vontade imensa de te conhecer... acho que acabamos por passar algo muito semelhante...
    Gostava que me escrevesses:
    metamorfose.em.mim@gmail.com
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Com o tempo tudo se ajeita e volta ao normal, ou muda completamente. Pense no que irá te fazer melhor, faça algo para se distrair, assim você estará pronta para enfrentar o tanto de coisa que ainda esta por vir!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

De repente, 30!

Instabilidade emocional

Pois é, Trintei!!